segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O silêncio

Certa vez, eu e Castor Luiz (compositor, artista, psicólogo, pensador) divagamos sobre o silêncio e a música.

Nosso grande questionamento era se a música é som sobre o silêncio ou se é silêncio sobre o som. Ao compor e arranjar as músicas do disco Amor e Pastel optamos por tentar pincelar som sobre um silêncio presente.

Hoje continuo pensando assim. Escolhi esse maneira de pensar, na verdade, porque acredito que são pontos de referência, e, eu, particularmente, sou um devoto do silêncio.

O silêncio que falo no entanto é o silêncio da alma, o silêncio que abraça.

Como um pintor que começa a princípio pelo amor ao quadro branco.

2 comentários:

  1. Tibério, este post combina com esta linda música:

    "Eu te amo calado, como quem ouve uma sinfonia
    De silêncios e de luz...
    Nós somos medo e desejo somos feitos de silêncio e som...
    Tem certas coisas que eu não sei dizer..."

    Será que o Nelson Mota pensou no silêncio da alma tbm ao compor?

    ResponderExcluir