segunda-feira, 16 de maio de 2011

Para nos inspirar a semana

Gosto de toda segunda repassar uma história, um causo, um conto que nos inspire a semana, que nos inspire o começo. Uma boa semana a todos:




"Mojud era um funcionário de uma repartição pública em uma pequena cidade do interior. Não tinha qualquer perspectiva de um emprego melhor, e seu país atravessava uma grande crise econômica, e Mojud já estava resignado em passar o resto de sua vida trabalhando oito horas por dia, e tentando divertir-se durante as noites e os finais de semana, vendo televisão.

Certa tarde, Mojud viu dois galos brigando. Com pena dos animais, foi até o meio da praça para separa-los, sem dar-se conta que estava interrompendo uma luta de galos-de-briga. Irritados, os espectadores espancaram Mojud. Um deles ameaçou-o de morte, porque o seu galo estava quase ganhando, e ia receber uma fortuna em apostas.

Com medo, Mojud resolveu deixar a cidade. As pessoas estranharam quando ele não apareceu no emprego – mas como havia vários candidatos para o posto, esqueceram rápido o antigo funcionário.

Depois de três dias viajando, Mojud encontrou um pescador.

- Onde você está indo? – perguntou o pescador.

- Não sei.

Compadecido da situação do homem, o pescador levou-o para sua casa. Depois de uma noite de conversas, descobriu que Mojud sabia ler, e propôs um trato: ensinaria o recém-chegado a pescar, em troca de aulas de alfabetização.

Mojud aprendeu a pescar. Com o dinheiro dos peixes, comprou livros para poder ensinar ao pescador. Lendo, aprendeu coisas que não conhecia.

Um dos livros, por exemplo, ensinava marcenaria, e Mojud resolveu montar uma pequena oficina.
Ele e o pescador compraram ferramentas, e passaram a fazer mesas, cadeiras, estantes, equipamentos de pesca.

Muitos anos se passaram. Os dois continuavam a pescar, e contemplavam a natureza durante o tempo que passavam no rio. Os dois também continuavam a estudar, e os muitos livros desvendavam a alma humana. Os dois continuavam a trabalhar na marcenaria, e o trabalho físico os deixava saudáveis e fortes.

Mojud adorava conversar com os fregueses. Como agora era um homem culto, sábio, e saudável, as pessoas lhe pediam conselhos. A cidade inteira começou a progredir, porque todos viam em Mojud alguém capaz de dar boas soluções aos problemas da região.

Os jovens da cidade formaram um grupo de estudos com Mojud e o pescador, e logo espalharam aos quatro ventos que eram discípulos de sábios. Um dos jovens perguntou, certa tarde:

- Mojud resolveu abandonar tudo para dedicar-se a busca da sabedoria?

- Não – respondeu Mojud. – Eu tinha medo de ser assassinado na cidade onde vivia".

13 comentários:

  1. Sensacional pra começar a semana!
    Obrigada por subverter minha segunda feira que começou comigo me sentindo meio Pedro Pedreiro.

    E, preciosíssimos os seus textos, o blog! =) Estou descobrindo cada vez mais motivos para te admirar.

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Queria fazer uma crítica em relação ao show de sexta, no Studio SP.
    É a quarta ou quinta vez que assisto a banda Seu Chico – a primeira vez, fui com receio (pq não gosto de ouvir/ver outros artistas interpretando músicas do Chico).
    Fui e gostei, mto!

    Tanto que voltei por diversas vezes.
    Só que desta última vez, achei falta de consideração e respeito com as pessoas.
    O show estava marcado pra 1 da manhã (pelo menos é o que o site diz). Só que vcs começaram tocar às duas e meia!!!!

    E tem mais: pra conseguir entrar na balada, é preciso chegar até umas 23:30. Ou seja, eu estava lá desde às 23, cansada, mas ansiosa pro show e tive que esperar por 3 horas e meia.
    Várias pessoas estavam reclamando da demora, do pq da banda atrasar tanto; que isso não se faz...

    Amo Chico e adoro o show, mas não aguentei ficar até o final (assisti a primeira parte e fui embora).
    Achei sacanagem (e das gdes!) com as pessoas que foram ali única e exclusivamente prestigiar o show.
    Eu não sei se isso aconteceu por causa da banda ou por imposição da casa.

    Jurei que nunca mais pisaria lá, pra ver um show de vcs.
    Mas tb não sei o que aconteceu.
    Poxa, vcs são ótimos, tocam mto, eu adoro, pq me privar de uma coisa boa por um acesso de raiva?
    Nem sei ao certo se a culpa foi de vcs.

    É isso, queria desabafar.

    Beijo, Melina.

    ResponderExcluir
  3. Puxa Melina, peço um montão de desculpas pra ti.

    Quando estou do outro lado, esperando um show, também fico bastante incomodado quando isso acontece.

    Olha, mas tentando amenizar, ou explicar, te digo que a maioria das bandas do tamanho da nossa se adaptam as casas e ao contratante. No caso do Studio, eles nos passam que de fato os shows são tarde, que é o perfil do público e coisas do tipo.

    Nessa noite em especial teve um show de abertura. Isso nos causou o maior atropelo, porque tivemos que desmontar todos os nossos instrumentos e depois remontar tudo de novo.

    Isso dá muito trabalho e leva um tempão.

    Mas para compensar façamos assim: no próximo show no Studio tu me envia um email, eu coloco teu nome como minha convidada, amenizo a péssima impressão que tu ficou tentando ao máximo começar mais cedo e ainda te dou um disco de lambuja para arrancar-te um sorriso. Pode ser?

    Mas olha, minha proposta não é pra te comprar com afagos não (rs...) é porque eu acho que tu tas certa.

    Um cheiro de desculpas

    ResponderExcluir
  4. Ufa, achei mesmo que a culpa não era exclusiva da banda.

    Gosto tanto de vcs que fiquei chateada com a situação e, por isso, resolvi voltar atrás e mandar essa mensagem.

    Obrigada por responder!

    Beijo, Mel

    Ps: vc foi tão legal que vou voltar a segui-lo no twitter, rs. E qto ao sorriso, nem precisa de disco, sua resposta serviu pra tal feito =)

    ResponderExcluir
  5. Angélica ♫ ♪16 de maio de 2011 19:37

    Olá Tibério Azul que deixou Franca colorida...

    Não sei se foi o inesperado,
    Não sei se foi você,
    Ou se foi tudo junto;

    Mas te encontrar na Virada Cultural
    Foi noit'en'canto outonal
    Para inspirar meu mundo!

    Parabéns por compartilhar a arte que você traduz em música e vida, trabalhar com amor é torná-lo visível, e nossos olhos tem sede dessa visão como a sede dos desertos que pedem inundações.

    Como sincera retribuição recomendo que leia, se ainda não o tenha feito, O Profeta, de Gibran, cujos versos lembrei por combinar perfeitamente com você e sua banda:

    "Quando trabalhais sois uma flauta através da qual o murmúrio das horas se transforma em melodia"...

    Terno Abraço e bons dias!

    ResponderExcluir
  6. Bom vamos lá...Eu conheci seu Chico, ontem e fiquei muito encantada com a presença de palco (canal Brasil). Foi indicação de uma amiga, que sempre fala do som de vocês, e eu me dei ao luxo de parar para ouvir no domingo a noite, não me arrependo. o incrível é que foi uma sequência de coisas boas, vi o show,fiquei com um monte de ideias pro meu tcc, joguei o nome docês no google e vim parar aqui no teu blog, que achei super bacana. Eu escrevo também, e admiro muito quem tem sensibilidade com a palavra escrita. Enfim, meu singelo parabéns pelos talentos gerais espalhados. Um beijo

    ResponderExcluir
  7. Tibério, me sinto mais forte quando me deparo com parábolas que me despertam força e coragem, obrigada por compartilhá-las !!!

    É difícil entender porque temos medo? medo de conhecer o novo, de arriscar, de tentar nossas oportunidades, de buscar novas conquistas...
    Gosto muito do "Mito da caverna",que faz uma excelentíssima crítica ao sentimento de conformidade,quem ainda não conhece, vale a pena ler, pois ele te possibilita descobrir que "pode" que "consegue" tudo o que de bom almejar, nós temos capacidade de sacudir o mundo, já dizia Raul Seixas, portanto meus amigos, corram atrás de seu sonhos de seus desejos, caminhem em busca de seus ideais e "o
    pai" certamente os ajudará.

    ResponderExcluir
  8. E pra mim não tem Tibério?

    Eu moro pertinho...Em Belém do Pará!!! rsrsrs

    ResponderExcluir
  9. O show da Seu Chico no Studio SP, sexta-feira, demorou para começar mas foi simplesmente. Confesso fui parar lá sem planejar e sem saber qual banda iria tocar naquela noite.

    Mas ao ver a Seu Chico no palvo vi que valeu a pena ter ido para o Studio SP naquela noite! Vocês realmente tocam com sentimento e conseguem prender o público!

    Parabéns a banda e em especial para você Tibério!

    ResponderExcluir
  10. Adorei o texto.
    É tão bom poder contemplar a arte em um ser em suas miríades formas.
    Você dá alma a banda pois a música não precisa ser assimétrica, mas sentida, experimentada e servida a quem saiba apreciar o que é realmente bom.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Tibério Azul, tão lindo e inspirador.

    ResponderExcluir
  12. Salve Tiberio!

    Primeira vez q sequer me atrevo a escrever à alguem de alguma banda q eu admire, mas ta valendo. Vi o show do Seu Chico por acaso no Canal Brasil, zapeando pela programaçao. Logo q vi o nome do "malandro", parei de vez. Qualquer coisa q envolva Chico Buarque merece o minimo de atençao. Logo de cara vejo Roberta Sá (amo mt) falando bem da banda, q inova nas releituras das musicas do Chico, q ficou interessante e original... pronto, cativou a atençao, nao mudo mais de canal. Fiquei por 1h e meia na frente da televisão, coisa rara, mas que valeu demais. O show de vcs eh maravilhoso, vc no palco eh magnético e a percursão me deixou doido, rs. Hj, qnd tive um tempinho, vim logo procurar sobre vcs, e me deparo com seu blog (o myspace ta carregando aki). Por alto li os textos, e adorei as historias, causos e contos q vc publica. Fato q seu blog entrará na lista das visitas rotineiras, tanto pelo interesse pela banda, como pelo interesse no q vc escreve e fala.

    Aguardo ansioso por uma chance de ver vcs no Rio outra vez. Estaremos, eu e meus amigos Chicólatras, na frente do palco, cantando e prestigiando o seu trabalho. Ótima semana pra vc, moço, e mt sucesso pra banda.
    Até.

    ResponderExcluir
  13. Obrigado a todos os elogios e as energias compartilhadas após a exibição do DVD no Canal Brasil.
    Isso é uma maravilha...

    ResponderExcluir